Quem sou eu

Minha foto
Igrejinha, Rio Grande do Sul, Brazil
Eu sou o Gustavo, tenho 15 anos, estou no 2° ano do ensino médio e estudo no cimol. com os conhecimentos em html eu comecei a montar um site gustavodewes.com.br

Gustavo


Get a Voki now!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Natureza Selvagem

Este é um texto escrito por mim, baseado no filme "Natureza selvagem"


Liberdade e... Loucura

Com a mochila nas costas, parti sem rumo, somente para onde o meu coração mandava. Confesso que, no início estava com medo, pois ainda não sabia o meu destino, afinal, sou ser humano e tenho o direito de ter medo.
Abandonei tudo, e a primeira coisa que fiz, foi voar para uma cidadezinha, na qual nunca tinha ouvido falar.
Agora, sem dinheiro, sem comunicação e sem informação, caminhei por 6 horas, para trás das montanhas, onde nada se ouvia, além do canto dos pássaros, moradores da natureza.
Tinha comigo somente um facão, que ganhei de meu pai aos 16 anos, no dia do meu aniversário. Tenho também um pedaço de ferro, que ao criar atrito com o facão resulta em uma faísca, então posso me esquentar e me proteger dos animais selvagens, com o silêncio e o calor de uma fogueira.
A menos de duas horas de escurecer, saio do acampamento que improvisei, com o objetivo de conseguir minha janta. Meia hora depois, já estou de volta á meu acampamento, assando o meu esquilo. Saciado, estou muito feliz, pois tudo aquilo de bom que imaginava aconteceu, mas a felicidade só é real quando compartilhada!
Aliviado, improviso minha cama e com um pouco de palha e meu casaco, crio um aconchegante travesseiro.
Acordo e, para o café da manhã, como uma doce e vermelha maça.
Basicamente a minha rotina se resumia a isso, eu acordava, comia frutas, andava, achava outro lugar na mãe natureza para ficar, jantava e dormia.
O que parecia simples, para mim era um sonho, eu era livre. Eu tinha liberdade, estava longe das pessoas, do barulho, dda poluição e de tudo mais. Não precisava me preocupar com o tempo ou com o dinheiro. Me preocupava somente em ser livre. Livre em mim mesmo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Transformando Suor em Ouro

Esse é o livro que eu li para o trabalho deste trimestre, e provavelmente foi um dos melhores livros que já li.
Da autoria de Bernardinho, o livro conta a história do técnico, escritor e palestrante que narra um pouco da história do voleibol brasileiro e das suas passagens por times e pela seleção e táticas usadas para, por exemplo, animar os jogadores após uma derrota e erguer a cabeça, treinar para a próxima partida ou campeonato seguinte.
No mesmo livro o autor relaciona o voleibol com a vida. Porque o vôlei não é somente um esporte que foi criado para entreter as pessoas, foi criado para explorar as táticas e técnicas e a filosofia também está presente no vôlei.
Existem algumas frases no livro relacionado a filosofia do vôlei com a vida, e eu selecionei algumas delas para a postagem:
- "Errar na forma é aceitável, mas nunca na intenção".
- "O questionamento constante é uma grande fonte de crescimento, e o crescimento por sua vez, uma fonte de satisfação".
- "A confiança é a base de qualquer relação e é sobre este pilar que devemos construir o relacionamento com nossos colegas".
O autor também descreve que recebe muitas críticas pelo jeito que grita com os jogadores e que os fãs acham que isso pode tirar o foco deles. Aí ele ditou uma frase de Nalbert: 
"A bronca vem sempre acompanhada de alguma informação".
Essas são algumas de muitas outras frases de filosofia relacionadas com o vôlei e a vida que estão no livro.
Também são mostradas algumas técnicas utilizadas com os jogadores, como a roda da excelência (Abaixo da Postagem).
Este é um livro que eu recomendo, porque depois de ler, consegui perceber que existe algo á mais por trás dos esportes, tanto que comecei a gostar de praticar Voleibol.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

domingo, 19 de junho de 2011

Crônica

Mundo Virtual e Dor de Cabeça

Esses dias na aula, tínhamos a tarefa de fazer uma crônica, e folheando a revista, decidi escrever sobre um assunto que nos leva a pensar, que está presente em nosso dia-a-dia mas que muitas pessoas pensam que conhecem muito bem, mas o conhecimento não é suficiente para termos a relação que temos com ela: a internet.
A reportagem que li, retrata o fato de que em 2001, foi posto ao ar o site "wikipedia.org", que convida os internautas a escrever sobre um tema permitindo que outro internauta tenha acesso a um material de pesquisa. A reportagem Também fala sobre outros sites de pesquisas existentes antes do Wikipédia, que eram os melhores, os mais acessados. Isso mostra a evolução virtual presente em nossa vida. Mas será que conhecemos a internet? Quais seriam as conseqüências que ela traria?
Os novos sites de relacionamento, como exemplo o twitter com a tal "tweet cam" que já trouxe muitas polêmicas e riscos. Pornografia, linguagem obscena, tudo liberada para todos, inclusive para as crianças.
Muitos vírus estão presentes nessa rede mundial onde até transferências bancárias são realizadas revelando os dados pessoais das tais pessoas.
Pontos positivos ou pontos negativos. Quais prevalecem em quantidade nessa rede mundial denominada internet?

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Bate Papo com Henrique Schneider

Esses dias, durante a feira do livro, fomos á um bate-papo com o autor e advogado Henrique Schneider. Foi muito legal pois ele leu alguns de seus contos que escreve para o jornal NH. Eu achei interessante a intonação de voz que ele lia. e uma pergunta que uma aluna de outra escola fez me chamou a atenção. Mas não tanto quanto a resposta dele:
- Henrique, você deixa um mistério ao final do livro. O personagem morre ou não
- Isso eu não sei. O resto da história não sou eu que construo, são os leitores. Quando escrevo procuro deixar um mistério ao final do livro. Não quero que seja um daqueles livros que o leitor lê, joga no canto e esquece, nunca mais olha. Eu quero que quando ele olhar para aquele livro ele abra a sua mente e invente o resto da história.
Muito bom,
Adorei!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Henrique Schneider



Henrique Schneider nasceu em 1963, em Novo Hamburgo/RS – cidade onde hoje vive. Desde cedo esteve próximo da literatura. Ao lado dos jogos de futebol no campinho do colégio e das correrias de polícia e ladrão, os livros e revistas. A loja de brinquedo e a livraria.

Na época da faculdade, publicou seu primeiro livro: Pedro Bruxo.
Em 1989, com O Grito dos Mudos, venceu o Prêmio Maurício Rosemblatt de Romance. O livro e o prêmio lhe abriram as portas para a literatura.
Após uma pausa, em 1999, publicou A Segunda Pessoa. O livro foi reeditado em 2010 pela editora Bertrand Brasil.
Em 2003, passou a escrever a coluna semanal de contos Vida Breve, no jornal ABC Domingo. São, até agora, mais de 300 pequenos contos publicados.
Em 2007, em parceria com a Universidade Feevale, passou a fazer leituras públicas e gratuitas dos contos do Vida Breve. As leituras já o levaram a diversas cidades gaúchas, além de Florianópolis, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Montevidéu e Buenos Aires.
Em 2007 publicou Contramão, finalista da 50ª edição do Prêmio Jabuti e vencedor do Prêmio Livro do Ano – categoria Narrativa Longa -, promovido pela Associação Gaúcha de Escritores - Ages. 

Em breve: BATE-PAPO COM HENRIQUE SCHNEIDER


segunda-feira, 2 de maio de 2011

Exclusão e Abusos na Estética

Um texto sobre Exclusão e abusos relacionado à estética.

Exclusão e Abusos na Estética

Vivemos num mundo em que a exclusão é muito grande. Um dos motivos de exclusão é a falta de preocupação com a estética.
O mundo chegou a esse ponto! A estética está nos dias de hoje entre as coisas mais importantes do mundo.
Para fazer muitas coisas sem exclusão, as pessoas devem ser belas, bonitas.
Mas muitas vezes, as pessoas abusam da estética. Botox, maquiagem, salto alto, tudo exagerado. E tudo pela busca da beleza eterna. Até a vida é arriscada quando o assunto é cirurgia plástica.
Há pessoas que, por causa de uma acne entram em depressão, ou até, se suicidam.
A estética foi criada para causar depressão e mortes (homicídio e suicídio)? Não! O abuso é muito grande. Tudo em exagero.
Estar bonito, elegante, belo é legal. Mas com exageros não dá.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Trabalho sobre o livro



Oi!
O texto abaixo se refere a um livro que li nas aulas de português. A finalidade é criar um texto expressando sua opinião e algumas outras coisas.

Confidências confusões e... Garotas

Uma narrativa de 229 páginas, escritas com linguagem informal muito bem escritas, criada por Gustavo Reis.
Confidências confusões e... Garotas, conta a história de um grupo de adolescentes que, tendo o objetivo de não reprovar no 3° ano do Ensino Médio tiveram que fazer um trabalho extra. Uma das meninas do grupo deu a ideia de falarem sobre as histórias de vida dos garotos que ocorreram durante suas adolescências, pois estão em maior quantidade no grupo.
Tem Nerd em sua primeira vez num motel, primeiro beijo do menino medroso, romances, drogas, medos e descobertas, festas, xavecos, problemas com amigos e família.
Gostei muito do livro porque ele tem a minha linguagem e expressa muito bem o intuito de que o autor quis passar ao leitor.
Recomendo aos adolescentes de todo o País.

Até a próxima

Publicidade português


Oi!
Esse é um trabalho sobre o produto que o meu grupo (composto por Pablo, Everton P, Edson e Eu, da turma 192) criou.
Regras:
  • O produto deve ser relacionado à estética.
  • Criar a propaganda desse produto para revista.
  • Criar um texto explicando a propaganda e o produto
Nosso produto se chama Capilar Creator.
Nossa empresa se chama GEP 192.
O principal propósito dessa propaganda era chamar a atenção.
Colocamos o fundo preto porque é mais comum um fundo preto em propaganda de revista.
Durante aulas, recebemos textos explicando o que fazer na hora de criar um produto. Preços, brindes, etc. Então, fizemos um preço bem especial.
E é isso.
O que acharam?
Comentem!